Adriano Mendonça Ponte

Adriano Mendonça, Gestor Público, mestrando em Administração Pública pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP), graduado em Direito e Gestão Pública pela Universidade do Distrito Federal (UDF) e pós-graduado MBA em Governança Pública e Gestão Administrativa pela Escola de Contas TCE-AM / FAEL.

Secretário de Estado do Amazonas na Secretaria de Estado de Relações Federativas e Internacionais – SERFI em Brasília. Coordenador da rede + Brasil (SICONV) pelo Estado do Amazonas, atua na promoção do relacionamento institucional na interlocução com os órgãos federais e estaduais, nas esferas política e administrativa, representa o estado perante as embaixadas situadas na capital federal, consulados e organismos internacionais (BID, BIRD, ADF, ONU, PNUD) dentre outros.

Proveniente do mercado financeiro iniciou sua trajetória na gerência de instituições financeiras como UNIBANCO, SANTANDER, CITIBANK e BNP PARIBAS (BGN).

Empreendedor abriu empresa no ramo financeiro dando consultoria e atuando como correspondente bancário, onde representou vários bancos junto ao Executivo, Judiciário e Legislativo.

Ingressou no quadro de servidores da Secretaria de Relações Institucionais (SERINS) em maio de 2010, como assessor, onde ascendeu profissionalmente aos cargos de chefe do Departamento Administrativo Financeiro, Secretário Executivo Adjunto até chegar a Titular da Pasta.

Como gestor, implantou os sistemas na área de planejamento estratégico, gestão de projetos, administração de orçamento, negociação de contrato e fornecedores.

Atua no controle das despesas e no cumprimento da missão governamental. É reconhecido pelo seu perfil técnico e por sua conduta ética e comprometida no desempenho de suas funções. Além de ser conhecido em sua Gestão por operar com absoluto foco no resultado, busca primordialmente a eficiência na administração pública através de ações objetivas, isto é evidenciado na matéria do BNC (2020) onde o Amazonas saltou de 19º para o 8º lugar em ranking de eficiência na gestão pública, na nova edição do Ranking de Competitividade dos Estados, onde esse desempenho é medido por índices como o de oferta de serviços digitais e de transparência.